Coloque a sua foto aqui: seja um seguidor do Santa Luzia Online

Archive for Julho 2008

Eleições 2008

No Pará, segundo o TRE (Tribunal Regional Eleitoral), 4.515.115 eleitores estão aptos a ir às urnas na eleição municipal de 5 de outubro em todo o estado. Esse número determina um equilibrio entre os sexos, porque 2.260.033 eleitores são do sexo masculino e 2.251.642 pertencem ao sexo feminino e, ainda, mais de 89 mil não são obrigados a votarem, pois são eleitores menores de idade, faixa etária na qual o voto é facultativo. Outro dado importante é que o Pará tem 382,6 mil eleitores com idade entre 18 e 20 anos. Portanto, candidatos, quando estiverem elaborando seus projetos de governo, pensem em politicas públicas voltadas para as mulheres e a juventude, que juntos reperesentam mais de 50% do eleitorado paraense.

EXTRAS

VERANEIO
Ontem todos os destinos convergiam para a cidade histórica de Ourém devido a realização da final do "XXV Festival da Canção Ouremense" e do já tradicional "Festival do Chopp" que atrai milhares de pessoas todos os anos para as areias brancas da orla do rio Guamá que ferve nesta época. Era uma multidão de gente de todos os cantos do Estado e, como é de praxe, os luzienses mais descolados marcaram presença e em grande estilo, pois era uma verdadeira 'competição de som automotivo' com placas da cidade de Manoel Gaia onde cada um queria mostrar suas máquinas equipadas com o que há de melhor em tecnologia sonora fazendo dezenas de amigos pularem ao som de muita música regional e eletrônica que eles 'despejaram' na praça principal de Ourém. Que pena que as férias chegaram ao fim.

POLÍTICA
A coligação "Muda Santa Luzia", liderada pelo Ex prefeito e candidato Mico e seu vice Édno, inaugurou comitê de campanha no último sábado após uma imensa carreata que cruzou a cidade de ponta-a-ponta reunindo mais de uma centena de carros sem contar na grande quantidade de motos e bicicletas que se juntaram a milhares de populares que acompanharam a maior carreata já realizada por um candidato na Cidade Morena mostrando a grande força de Mico para as próximas eleições municipais.

RELIGIOSIDADE
Na última quinta feira, véspera do dia de São Cristóvão, o padroeiro dos taxistas, Pe Elias realizou bonita romaria com os profissionais da categoria que percorreram as principais ruas da cidade até a Igreja Matriz onde foi celebrada uma Missa e benção de chaves e habilitações dos motoristas. É o Pe Elias com suas maravilhosas ideias à frente da Paróquia de Santa Luzia. Parabéns pela excelente ideia Pe Elias.

TEMPORADA
Claudinho, Lenita e família curtem restinho de temporada no ótimo Estado do ceará. Toda a prole curte as delícias das praias atlânticas mais badaladas do país. Que inveja...

FÉRIAS
Esta é a última semana de férias escolares, pelo menos no calendário oficial. Mas em Santa Luzia elas vão se esticar por mais uma semana, é que as aulas no município só começarão na segunda semana de agosto. É Uma boa notícia para quem já está acostumado com a ociosidade do mês de julho.

TV I
O antigo sinal da TV Liberal (afiliada à Rede Globo) em Santa Luzia está transmitindo agora a TV Cultura do Pará. Até aí tudo bem, porque este canal tem uma programação muito rica voltada para a cultura, principalmente a paraense que precisa ser divulgada para todo o território do nosso imenso estado. O que deixa a desejar é a imagem de péssima qualidade, parece que estamos assistindo à televisão ainda na década de 80 na "era VT" (vídeo Tape) que mal dá para enxergar as pessoas ou ler as legendas. Se o governo quer disponibilizar a TV Cultura para todo o Estado, terá de melhorar a qualidade do serviço investindo em tecnologia, não faz o menor sentido em plena era da TV Digital assistirmos programas gerados com tecnologia da pré-história da televisão brasileira.

TV II
Como já foi citado logo acima, é louvável a ideia de disponibilizar a TV Cultura para a população luziense, mas não é justo fazer isso tirando do ar, a TV Liberal, o canal televisivo mais conceituado do Estado que também tem produções locais de excelente qualidade principalmente no jornalismo, sem se falar na ótima qualidade da imagem gerada com tecnologia de ponta. Fornecer informação também é um serviço essencial, pensem nisso.

*Nosso abraço para a miga Sônia Araújo, leitora do nosso blog.

Um pouco da história do festival da Canção Ouremense

Criado em 1983, integrando a programação de veraneio: “OURÉM, UM VERÃO QUENTE DE AMOR”, composta de uma série de atividades esportivas e culturais que culminaram com a realização do Festival, realizado sempre no mês de julho. O prefeito municipal da época, professor José Raul de Souza Santos, preocupado com a falta de opção de entretenimento no município, junto com grande volume de pessoas que se deslocavam do município, para municípios visinhos, solicitou a um grupo de jovens que assumiam a liderança cultural e esportiva na época, e se comprometeu em custear as despesas necessárias para a realização de todos os eventos programados.

Dentre as pessoas responsáveis pela elaboração da programação estavam: Donato Sarmento, Humbertinho, Fernando Piauí, Alderico Aires, Veloso Neto, Tomaz Ruffeil, Marcos Ruffeil, entre outros, que se disponibilizaram em contribuir à coordenação do projeto proposto.
Inicialmente o festival, representava o encerramento da programação, elaborado como um concurso que premiaria as melhores músicas dentre todas as inscritas.
Para registro, passamos a descrever o cenário inicial do primeiro festival da canção em Ourém: Uma maloca sextavada de bambu e palha com pouco mais de 100m² foi construída nas proximidades da esquina da rua15 de novembro com a travessa Lázaro Picanço, portanto bem próximo da beira do rio Guamá, local onde termina a primeira praça da “Lázaro Picanço”.

Em 1984, por falta de apoio o festival não se realizou. Tendo sua segunda edição realizada em 1985, onde, um novo grupo comandado por Jofrey Gemaque, Agnaldo Corrêa e “Caíto” abriram um novo projeto para o festival da canção, que mais uma vez apoiado pela prefeitura através de Raul Santos, veio acontecer nos mesmos moldes do primeiro, realizado na “Barraca das Festividades” ou “Barraca da Santa” ambiente da igreja católica.
Em 1986, o festival aconteceu entre as duas praças principais da cidade, exatamente na rua Hermenegildo Alvez, Alderiquinho mais uma vez abiscoitou o primeiro lugar, com o xote “Vem de algum lugar”, composição dele e Rildo Medeiros.
No ano de 1987, o local do “festival” foi mudado mais uma vez, pois o prefeito Raul Santos construíra o barracão “Tucunaré”, no local onde estão localizados os primeiros quiosques da beira do rio, para servir a eventos de verão. Essa edição foi cuidadosamente planejada, mas serviu mais uma vez para entender-se que o espaço também era pequeno. Porém em 1988, nosso “festival” voltou a acontecer na praça, ao lado do Banco do Brasil. Este foi o último evento realizado na administração Raul Santos.

Por volta de 1989, assumia a prefeitura de Ourém o farmacêutico Raul Mota da Costa, que conservou na Secretaria de Cultura o nome de Jofrey Gemaque,responsável pela realização do 3º ao 9º festival, e de novo realizou mais um festival na praça localizada na rua Hermenegildo Alves.

Em 1991, o festival muda novamente de local e embaixo da mangueira do “Beiradão”, na Praça Vitaliano Vari, aconteceu o VIII Festival da Canção Ouremense.
Em 1.992, novamente na praça, o “Festival da Canção” experimenta um novo formato, introduzindo o sistema de eliminatórias, sendo realizado em três noites (duas eliminatórias e a final). Porém o que era para acontecer em três noites acabou em quatro, pois a comprovação de beneficiamento em favor de um concorrente, gerou distúrbio de revolta entre os demais participantes, motivo pelo qual a coordenação do evento, ainda sob o comando de Jofrey Gemaque, foi obrigada a anular e realizar uma outra final, desta feita em 20/08/1992, em Belém na casa noturna “Olé, Olá”, encerrando o mandato do prefeito Raul Mota da Costa.

Em 1993, assume a prefeitura de Ourém, Haroldo Alencar de Sousa, que chamou para a secretaria de Cultura, o ouremense Arlindo Matos, que procurou melhorar a estrutura básica do evento cultural principal de Ourém, conservando as coisas boas e melhorando outros pontos deficientes do festival. Para redução de despesa, voltou a realizar o festival numa noite só, sem as eliminatórias introduzidas no ano anterior. Melhorou a sonorização, introduziu pela primeira vez, troféu personalizado, Foi sob o seu comando, que o festival aconteceu pela primeira vez literalmente na beira do rio, em local aproximado onde hoje está localizada a concha acústica.

Graça Serra,nomeada então secretária de cultura, com o trabalho voluntário de Arlindo Matos realiza a coordenar o XI Festival da Canção Ouremense. A XII edição do festival teve coordenação de Graça Serra e do músico Delço Taynara. Já o XIII Festival da Canção Ouremense em 1996, também foi realizado por Graça Serra com o auxílio de Almino Henrique.

Em 1997 assume a prefeitura João Gomes da Silva, que nomeia secretário de cultura o ex-padre Baltazar Filho, o “Baltinha”, que volta a modificar o troféu, desta feita, talhados pelo artista da terra Fabiano Raimundo. O regulamento também sofreu modificações, utilizando critérios de avaliação diferenciada dos julgadores.
O XV festival acontece em 1998, em 1999 o XVI e no ano de 2000, o XVII Festival da Canção Ouremense também organizado por Baltazar Dias
Em 2001, o prefeito João Gomes foi mantido no governo para mais um mandato de quatro anos, porém substituiu o secretário de cultura, promovendo o retorno de Jofrey Gemaque que realizou o XVIII, XIX, XX e XXI festival. Nessas edições o “festival” voltou a ter duas eliminatórias e final. Em 2004 é pré-inaugurada por João Gomes, a concha acústica “Tomáz Ruffeil” com a realização do XXI Festival da Canção Ouremense.

Em 2005 assume a prefeitura de Ourém, Raimundo Zoe de Jesus Saavedra, que nomeou para a secretaria de Cultura, a Sra. Ebe Potiguar que realizou apenas o XXII festival, tendo como produtores músicas: Pedrinho e Andréia Cavallero, cuja edição contou com transmissão ao vivo das emissoras Cultura para todo o Mundo. Esta edição foi considerada operacionalmente, a melhor de todas, com excelente fluência e sonorização profissional.
Em 2006 foram introduzidas mudanças na organização do festival, graças às sugestões e reivindicações de artistas ouremenses que foram ouvidas e em parte aplicadas nesta edição. Também foi inserido em seu contexto o FEMUPA – Festival de Música do Pará, tornando nosso festival pólo de dezenas de municípios do nordeste paraense. Em primeiro lugar atendendo aos artistas residentes em Ourém, o regulamento foi reescrito adequando-se ao Femupa e Fempo (Feira de Música e Poesia de Ourém, que serve de acesso para os locais). Também foi exigido que a pé-seleção (triagem) fosse obrigatoriamente em Ourém e tivesse participação de julgamento igualitária de ouremenses, encontrando-se com esse peso uma média teoricamente justa, medida estendida para as eliminatórias e final no corpo de jurados aumentando de quatro para sete julgadores, contando-se com o presidente do júri.).

O XXIV festival sobe a administração do prefeito Raimundo Zoé de Jesus Saavedra, tendo como secretária de cultural Antônia Amorim, teve como coordenador o artista José Henrique, além de Pedrinho e Valéria Cavalero como Produtores Musicais. Contou com o apoio do Governo do Estado do Pará através da fundação Tancredo Neves, SECULT, Funtelpa Escola de Governo do Estado do Pará -EGPA, neste ano integraram ao festival o Festival de Música do Pará – FEMUPA e o 9º Festival de Música dos Servidores Públicos Estaduais – SERVIFEST. Esta edição contou com quatro etapas, sendo três eliminatórias e uma finalíssima.

FONTE:www.festivalouremense.org

Ourém - A pérola do rio Guamá

Neste último final de semana de julho, nossa vizinha e cidade mãe, Ourém transforma-se no point mais badalado do nordeste paraense. Isso porque além de ser um dos roteiros mais procurados durante todo o mês de férias devido as maravilhas naturais que oferece, o municipio de vocação essencialmente turística atrai milhares de pessoas para o veraneio e principalmente para o mais tradicional festival de música regional do Pará: O Festival da Canção Ouremense que acontece durante esta semana terminando no domingo com o Festival do Chopp que encerra a alta estação.
Situada à margem do rio Guamá, o pequeno povoado do século VXIII fundado por famílias açorianas, é um dos municípios paraenses de maior potencial turístico. Matas virgens e igarapés de águas cristalinas são alguns dos atrativos de Ourém, chamada carinhosamente de "A Peróla do Guamá".

O clima da cidade é convidativo e tranquilo, quebrado somente durante feriados prolongados e mês de julho, época em que a população do município que é de 15 mil habitantes dobra nos finais de semana.
São pessoas que vêm atrás das belezas de Ourém, encontradas principalmente nos igarapés, de águas geladas e cristalinas, localizados aos arredores da cidade.

Ruas estreitas e casas simples garantem a calmaria de Ourém, que descansa no doce balançar das águas do rio, com seu ar bucólico que é um dos principais atrativos da cidade composta por gente simples, mas de forte identidade cultural. É em Ourém que acontece o mais antigo festival de música do Estado, o Festival da Canção Ouremense, realizado há mais de duas décadas, sempre no último sábado de julho atraindo artistas de todo o Pará e até de outras regiões brasileiras.

A religiosidade também é outra marca forte do povo ouremense. A igreja matriz da cidade é da década de 30. Construída no estilo gótico é o símbolo maior de fé daquele povo, a maioria católico e fiéis à Nossa Senhora de Nazaré, padroeira dos paraenses. A igreja também é palco de outra tradição religiosa dos moradores da cidade: a Festa de São Benedito, realizada sempre no mês de dezembro.

Assim é Ourém. Uma cidade que oferece aos seus visitantes todos os encantos da Amazônia.
É o Pará isso...

Ourém tem um charme especial...

No próximo final de semana, a vizinha e nossa cidade mãe, Ourém estará realizando o "XXV Festival da Canção Ouremense". Qual o luziense que nunca foi num Festival da Canção? Qual o luziense que nunca ouviu a música mais famosa desse festival? Então só para matar a saudade de quem está longe e lembrar quem está aqui na terrinha, logo abaixo está um trecho da música que é a cara da cidade de Ourém.



"Há muito tempo que sou fruto dessa terra
Há muito tempo que sou peixe deste rio
Sou como gado que quado a brasa ferra
Fica marcado por muitos anos a fio

Quando eu caminho pelas ruas da cidade
Sinto no peito uma grande emoção
São os reencontros da minha felicidade
Saudade fica onde se deixa o coração

Em frente à pracinha da igreja matriz
Do coreto eu vejo o Rio Guamá
Me encontro com as suas cachoeiras
Que me deixam feliz em te poder cantar

Ah, Ourém, eu não escondo de ninguém
Que sou maluco e gosto muito de você"


Trecho da música premiada no Festival da Canção Ouremense de 1990. Seu eu estiver errado me corrijam...

Festivais em Ourém e Bragança

Nesta semana duas das cidades mais antigas e mais bonitas do Nordeste Paraense estarão realizando seus festivais de canção popular regional. Trata-se das cidades de Ourém, a Pérola do rio Guamá, que realizará o "XXV Festival da Canção Ouremense" e Bragança, a Pérola do rio Caeté, que fará o "I Festival de Música do Rio Caeté".

Os amantes da boa música terão, ao longo desta semana, dois bons motivos para deixar a capital paraense e rumar para o interior do Estado. Além das belezas naturais, os municípios de Ourém e Bragança, ambos no Nordeste do Pará, realizarão, nos próximos dias, os seus festivais de música, que, juntos, oferecerão R$ 24 mil em prêmios para os participantes. Enquanto em Ourém o evento chega à 25ª edição recheado de novidades, em Bragança, o primeiro número do festival promete muitas surpresas para o público e artistas.
O 25º Festival da Canção Ouremense, promovido pela Prefeitura local, em parceria com o Governo do Estado, começa hoje, efetivamente. Este ano, inscreveram-se na disputa 97 canções, vindas de todos os lugares do Pará e do Brasil. Dessas, foram pré-selecionadas 33, que até sexta-feira, 25, serão apresentadas ao público, na concha acústica Tomaz Ruffel, orla do rio Guamá. Ainda na sexta-feira, serão anunciadas as 15 músicas mais bem pontuadas. São elas que disputarão os prêmios, no sábado, 26.
O 1º Festival de Música do Rio Caeté, no município de Bragança terá sua grande final nesta quinta-feira, e se constitui em uma frente para descoberta de novos talentos culturais nas cidades paraenses.
Na grande final do festival irão atuar cinco jurados, para apreciar doze composições a serem apresentadas a partir das 20 horas desta quinta-feira, no Largo de São Benedito, na orla da Cidade de Bragança, de frente para a o rio Caeté. Essas canções, em ritmos diferentes, foram selecionadas entre 52 inscritas. Nos festivais pelas cidades paraenses, os compositores e intérpretes conhecidos do público têm a oportunidade de trocar experiências com gente que está começando a mostrar seu trabalho, e além dessas pessoas quem ganha com isso é o público. É nos municípios que está a força dos festivais do Brasil.

Veranistas invadem Salinas em busca do sol

O último final de semana foi muito movimentado no nosso balneário atlântico mais famoso. A entrada da cidade de Salinópolis e da praia do Atalaia ficou completamente congestionada devido a grande quantidade de veiculos que chegavam de todas as partes do estado trazendo pessoas que estavam afim de curtir as maravilhas do Sal na praia atlântica mais charmosa do Pará. De acordo com alguns meios de comunicação o balanço divulgado pela PRE (Polícia Rodoviária Estadual) dava conta de que mais de 50 mil pessoas estavam na praia no domingo o que provocou tráfego lento logo cedo na entrada que leva às praias do Farol Velho e do Atalaia. Mas nada que tirasse o bom humor e a disposição dos veranistas que estavam loucos para curtir o sol e a agitação de Salinas.

Confira algumas fotos logo abaixo:



























EXTRAS

SAL
O penúltimo final de semana de julho em Salinas mais uma vez foi invadido pelos luzienses mais descolados, digamos assim. Não era muito difícil encontrar uma barraca abrigando um carro com placa da cidade de Manoel Gaia e seus ocupantes curtindo as delícias do Sal no verão mais descolado do atlântico paraense.

FALANDO NISSO
Uma das turmas vip's da terrinha resolveu alugar mansão no Sal para curtir o final de semana passado em alto estilo. Até aí tudo bem, mas a surpresa maior foi quando descobriram que eram vizinhos do paraense mais ilustre no Brasil, o deputado federal que dispensa apresentações: Jader Barbalho. Cuidado turma, antes de sairem para a balada tranquem bem a casa e escondam tudo o que tem valor, pois vocês conhecem bem a fera.

COCA-COLA
A ausência do poder público e a falta de sensibilidade de alguns veranistas estão destruindo o lago Coca-Cola e as dunas em Salinas. O descaso é tão grande que o igarapé está cercado de vendedores sem nenhuma estrutura e o lixo predomina nas doces águas escuras do lago cercado pelas mais lindas dunas atlânticas do Pará.

RETORNO
Depois de curtirem temporada em Cuiabá ao lado de amigos e familiares, Rita e sua filha Daiane, retornaram ontem à terrinha e agora só pensam em descansar ao lado da familia que paparica a mais nova integrante da prole, a linda Heloísa de apenas um aninho e meio filha de Délio e Jamilly.

POLÍTICA
A corrida eleitoral 2008 já está em pleno vapor na Cidade Morena. Os candidatos a vereador que já invadiram a cidade com suas músicas agora disputam palmo à palmo os muros das casas para estamparem seu nome. O curioso é que os candidatos da situação estão aparecendo sozinhos sem o nome do candidato a prefeito ao lado dos seus. Segundo as más línguas é que o desprestígio do atual gestor é tão grande que a população não quer ver seu nome nem 'pintado de ouro' nos muros das suas residências e, os candidatos não querem correr o risco de perderem votos por causa disso. É meus amigos, o tempo anda fechado com riscos de trovoadas, relâmpagos e tempestades para aqueles lados...

FESTIVAL
Fique ligado. Está chegando o último final de semana de julho e com ele o "XXV Festival Ouremense da Canção", que começa à partir de hoje no Complexo Turístico da Orla do rio Guamá na vizinha cidade de Ourém estendendo-se até o próximo domingo. Um sonho do saudoso Professor Raul Santos concretizado na sua administração como prefeito daquela cidade ainda na década de 80, o Festival da Canção é o único do gênero no Estado que valoriza o artista anônimo através de concurso para escolher a melhor canção apresentada ao público durante esse período. A temática desse ano, ao completar as bodas de prata, é uma homenagem ao seu fundador: PROFESSOR RAUL SANTOS.

DESCASO
Em Santa Luzia como sabemos, quase tudo funciona precariamente, atendendo o mínimo possível das exigências da população e, tudo isso é fruto do descaso das autoridades constituídas. É assim com a saúde, a educação, a geração de empregos e enfim com todos os segmentos que carecem de atenção do poder público que não resolve sequer problemas de importância menor, como é o caso do sinal aberto da TV Liberal no município que encontra-se fora do ar por mais de uma semana, sem nenhuma explicação ou previsão de funcionamento, deixando os luzienses desconectados com o único veículo de comunicação local. Quem dispõe de antena parabólica ainda tem outras opções, mas o pobre que tem apenas o aparelho de TV, está a ver navios...

FUTSAL
Iniciou na semana passada o Torneio Luziense de Férias de Futsal. Segundo os organizadores é o mais concorrido de todos os tempos devido ao número de equipes inscritas. São 32 times disputando o título de campeão que atualmente pertence ao Hicso Sport Club, comandado pelo Carlinhos e é um dos grandes favoritos. O destaque vai para o time do Motão que participou de todas as edições, tem uma das maiores torcidas, especialmente a feminina, dispõe de grande estrutura, mas nunca ganhou um jogo sequer. Quanta contradição.

* Nosso abraço à amiga Thaísa, que lá da Capital, é leitora assídua do nosso espaço. Um 'xêro' Thaísa.

Política

As campanhas 2008 começam a esquentar a partir de hoje. As coligações que disputam as eleições de outubro em Santa Luzia iniciam neste sábado a agenda de comícios e reuniões pelo interior do município divulgando seus projetos de governo e é claro em busca do voto do eleitor. A coligações formada pelo ex prefeito Mico (PR) e o empresário Édno Alves (PSB) realizará comício na comunidade do km 18 logo mais a noite, tendo como principal articulador o deputado estadual Adamor Ayres (PR) que é filho desta terra e um dos principais nomes no legislativo estadual e uma das lideranças mais expressivas do G10 (grupo supra partidário formado por deputados independentes) na Assembleia Legislativa.
A outra coligação, encabeçada pelo atual prefeito, realizará comício na comunidade do Broca. Este terá uma árdua tarefa pela frente, já que não dispões de tanta credibilidade junto ao eleitorado apresentando altos índices de rejeição acumulados ao longo desses quase quatro anos de administração.

Novidades no blog Santa Luzia On-line

Olá, amigos. Sempre com a intenção de melhorar este espaço proporcionando o maior grau de interação possível entre os amigos que nos honram com sua visita, estamos implantando novidades que permitirá uma maior aproximação entre os visitantes. Na aba lateral, logo abaixo do contador de visitas, temos o mural de bate-papo, que permitirá aos amigos que estão on-line no blog teclar em tempo real entre si. A outra novidade é a nova enquete que está mais abaixo da sala de bate-papo.

Salinas é irresistível.

Nosso mais charmoso balneário atlântico, distante 210 km de Belém, é uma cidade como poucas na Amazônia. Talvez seja única. Com arquitetura própria, hábitos inconfudíveis (o café da manhã é tomado por volta do meio-dia, o almoço é servido às seis da tarde e janta-se à meia-noite), um clima agradável refrescado pelos ventos constantes e a discutida peculiaridade de se permitir o acesso e o trânsito de veículos em suas principais praias (Farol Velho e Atalaia), tornando-se um inimaginável parque de estacionamento na alta temporada (julho e dezembro). Tudo isso compõe a singularidade de Salinas, o nome popular da praia do Atalaia.
Para completar o charme da nossa praia mais famosa, no ano 2000, o governo do Estado promoveu uma ampla revitalização da orla, construindo um amplo complexo de lazer chamado de "Orla do Maçarico" que tornou-se o 'point' noturno dos frequentadores de Salinas.

Um por-do-sol incomparável

Um paraíso chamado Salinas

Um lindo por-do-sol em Salinas

Nossa faixa de areia atlântica mais famosa - Praia de Salinas
Nossa faixa de areia atlântica mais famosa - Praia de Salinas
Casarões às margens da praia do Atalaia

Praia do Atalaia, nossa famosa Salinas

Igarapé do Morro da Coca-Cola

Banhistas indo para o igarapé da Coca-Cola

Vista da praia do Atalaia
Duna do complexo Morro da Coca-Cola

Duna conhecida como "Morro da Coca-Cola"

Prédios modernos vistos do alto da duna do Morro da Coca-Cola

Duna do Morro da Coca-Cola

Hotel Privê - O hotel mais famoso da praia do Atalaia

Vista de cima da duna do Morro da Coca-Cola