Dezenas de luzienses participam do Dia Nacional de Paralisação

O Brasil viveu um dia histórico nesta sexta-feira, quando trabalhadores de todas as categorias profissionais foram às ruas protestar contra as reformas trabalhista e previdenciária, bem como por reajuste salarial e contra a corrupção. O Pará, assim como todos os demais estados da federação também aderiu ao dia de greve geral com manifestações em todas as regiões do estado, desde a capital, Belém, até as cidades mais pequenas localizadas nos rincões paraenses.

Santa Luzia, que tem um longo histórico de lutas através da esquerda, uma das maiores forças políticas do município, não ficou de fora e também foi às ruas com centenas de pessoas: lideranças políticas, líderes de movimentos sociais, professores e profissionais liberais. Os luzienses, liderados pelo Sintepp - sindicato dos trabalhadores da educação - lotaram dois ônibus que seguiram para o Km 140 da BR-316, mais precisamente na entrada da cidade de Ourém para se juntar a uma multidão oriunda de outros municípios como Capanema, Ourém, Capitão Poço, Primavera e Nova Timboteua, entre outros, que fecharam a BR com barricadas de pneus queimados, interrompendo o tráfego de veículos por mais de 04 horas.

O destaque ficou por conta da vice-prefeita de Santa Luzia, Lúcia Machado, principal nome da esquerda luziense que não fugiu das suas origens e se juntou aos manifestantes. De microfone em punho Lúcia fez um discurso inflamado e contundente em prol das reivindicações e em apoio aos trabalhadores, sua principal bandeira de luta durante toda a sua trajetória política.

 Imagens: Facebook




Comentários