Assassinato da luziense líder de um assentamento em Castanhal ainda repercute na imprensa

Kátia Martins, luziense da comunidade do Muruteua, líder de um assentamento na zona rural de Castanhal, assassinada a tiros por pistoleiros na semana passada foi mais uma vítima da violência no campo que coloca o estado do Pará no topo do vergonhoso ranking desse tipo de crime.

Em pouco mais de um mês sete pessoas perderam a vida no estado por conta de disputas de terra e Kátia é apenas mais um número que engrossa as estatísticas oficiais do governo que continua de braços cruzados enquanto a violência atinge dados estratosféricos e domina as machetes dos principais veículos de comunicação do país.

Abaixo um recorte da coluna Repórter Diário da edição desta segunda-feira, 08, do jornal Diário do Pará:

Comentários