Coloque a sua foto aqui: seja um seguidor do Santa Luzia Online

Telhado de igreja evangélica desaba em Santa Luzia na noite desta quarta-feira

Fotos: Ederson Vieira

No início da noite desta quarta-feira, 29, por volta das 20 hs, o teto da igreja evangélica Assembleia de Deus Missionária, localizada no Bairro Novo, desabou durante um ato religioso: cerca de 50 de pessoas - incluindo crianças - encontravam-se no interior do templo e ficaram feridas, apenas escoriações e pequenas fraturas sem gravidade. As causas do acidente só serão conhecidas após perícia do Corpo de Bombeiros, mas de acordo com informações extra-oficiais o prédio era bastante antigo, estava deteriorado e passava por reformas.

As equipes de plantão da Secretaria de Saúde foram acionadas, chegaram rapidamente ao local e conduziram os feridos para a Ubs onde receberam atendimento médico, foram medicados e liberados em seguida sem a necessidade de internação ou transferência de algum paciente para hospitais de Capanema ou outras cidades vizinhas.

Apesar da destruição, tudo não passou de um grande susto, Graças a Deus...

Cercado por acusações, já preso e algemado no passado pela Polícia Federal, senador Jader Barbalho [PMDB], aliado de Lula e Dilma, fracassa ao tentar fazer do filho sucessor. Vitória do governador tucano Simão Jatene no Pará

O poster baixo é do blog homônimo editado pelo jornalista Ricardo Setti no Portal Veja Online.


O governador tucano do Pará, Simão Jatene, foi reeleito com 51,98% dos votos contra o filho e herdeiro presuntivo do cacique Jader Barbalho [PMDB], Helder Barbalho, com 48,02% dos votos.

Atingido por uma metralha de acusações há anos, Jader tentou passar o cetro ao filho, Helder, 35 anos, ex-prefeito de Ananindeua, cidade de quase meio milhão de habitantes na Região Metropolitana de Belém. O filho foi derrotado depois de o Supremo Tribunal Federal decidiu, no começo do mês, abrir ação penal contra o senador Jader Barbalho por crimes contra o sistema financeiro, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.

O processo tramita em segredo de Justiça e por isso não é possível ter acesso a detalhes. Jader responde a outras cinco ações criminais no STF. O senador chegou a renunciar ao mandato e à Presidência do Senado em 2001, na esteira de denúncias de que teria desviado verbas liberadas pela Sudam [Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia].



Quatro meses depois de deixar o Congresso para evitar a perda do mandato por cassação, Jader teve a prisão decretada pela Justiça Federal do Tocantins. Preso por agentes federais em Belém, chegou algemado a Palmas, no Tocantins, mas foi liberado após passar 13 horas na cadeia.


O senador conseguiu se eleger novamente senador em 2010 e, com sua posse em 2011, os inquéritos e processos a que respondia foram encaminhados para o Supremo Tribunal Federal, já que, como parlamentar, passou a ter foro privilegiado, segundo a Constituição.

As eleições já terminaram, mas Helder Barbalho ainda não desarmou o palanque e continua na disputa para o "terceiro turno"

As eleições terminaram no último domingo com a realização do segundo turno, porém o candidato derrotado ao governo do estado, Helder Barbalho, faz parecer está em plena campanha para o "terceiro turno" do pleito. Derrotado após uma virada espetacular do Governador Simão Jatene que impôs uma vergonhosa surra de mais de 140 mil votos de diferença sobre o "filhote de Jader Barbalho" no último domingo, Helder usa o império midiático oficioso - construído com recursos obtidos durante a nebulosa trajetória política de Jader - do pai para continuar espalhando mentiras na tentativa de descaracterizar a reeleição de Jatene legitimada nas urnas pela maioria dos paraenses que disse não aos Barbalho.

Escondido atrás de manchetes fabricadas por um jornalismo de rodapé, Helder Barbalho contamina a imprensa bem intencionada ao vender mentiras e falsas acusações para justificar a sonora derrota imposta pelas urnas. O incauto leitor que folhear qualquer uma das edições desta semana do jornalão dos Barbalho vai se deparar com um jornalismo de mau gosto, irresponsável e sujo em desfavor da verdade, no qual pinta um estado arrasado e sem comando ao contrário da realidade cristalina que qualquer paraense sem o menor esforço pode ver nas ruas da capital ou no interior.

Na verdade, o jornaleco que já foi capaz de publicar imagens de uma maternidade de Honduras - país da América Central - como se fossem da Santa Casa de Misericórdia de Belém apenas para acusar o Governador Jatene de omissão e descaso com a saúde foi reduzido a um muro das lamentações de tantas que são as queixas e a choradeira do Barbalhinho por conta da derrota que livrou o Pará da Oligarquia mais longeva e nefasta ao erário da política paraense.

Inconformado, Helder e o império de comunicação do notório senador multiprocessado Jader Barbalho deveriam ser, sem nenhum exagero, responsabilizados judicialmente por faltar com a ética e disseminar o ódio contra o Estado de Direito. Está mais do que na hora de se fazer justiça contra a Oligaquia Barbalho e seu método acintoso de fazer política com a faca nos dentes como se fosse senhora absoluta da verdade e paladina dos bons costumes na vida pública. O uso abusivo das empresas do pai para concorrer ao governo do estado vem desde o ano passado quando Helder - que nunca pensou em ser radialista - ganhou um lustroso programa na Rádio Clube AM, líder de audiência em todo o Pará e a terceira mais antiga emissora de rádio do país, com um poderoso staf de jornalistas e repórteres à sua disposição para fazer críticas encarniçadas diariamente contra o Governador Simão Jatene, revelando que tem o mesmo padrão hereditário do seu genitor quando se trata dos meios utilizados para atacar adversários e fazer política sem escrúpulos.

Mas o leitor esclarecido já percebeu a manipulação das notícias em favor de interesses imediatos da família Barbalho e não leva mais para casa o periódico mentiroso que encalha aos milhares nas bancas de todo o estado desde que se oficializou o período eleitoral.

Vereador Naldinho está de volta ao PMDB

O notório vereador Naldinho, eleito pelo PMDB em 2012, está de volta à legenda após uma temporada abrigado no Pros [Partido Republicano da Ordem Social] na companhia do seu colega Zeca do Bento, ex-PT.


Tão logo terminou a apuração dos votos do segundo turno que deram a vitória a Simão Jatene, Naldinho tratou, já na segunda-feira, de abandonar o Pros - alinhado com o Prefeito Adamor Aires no município - e retornar para o seu antigo ninho ao lado do vereador Jetro Carvalho para a reforçar as hostes da oposição liderada pelo empresário Edno Alves, morubixaba do PMDB luziense, derrotado nas eleições de 2012 em consórcio com o PT.

Prefeito Adamor Aires comemora a vitória do Governador Simão Jatene na próxima sexta-feira com uma grande festa popular


A comemoração da vitória do Governador Simão Jatene - pelo Prefeito Adamor Aires - em Santa Luzia, será sob os acordes do forrozeiro Daniel do Acordeon na próxima sexta-feira, 31, no terreno do ex-prefeito Mico no bairro do Km 46.

Com participação especial do luziense Wellyton do Forró, a festa começa à partir das 11 hs com direito a feijoada, churrasco e muita cerveja gelada.

Tudo 0800...

Apesar do discurso raivoso da oposição Adamor Aires é o grande vencedor das eleições em Santa Luzia


Apesar de alguns percalços e do discurso loroteiro dos barbalhopetistas luzienses, o Prefeito Adamor Aires saiu das eleições de 2014 maior do que entrou. Adamor contabilizou resultados expressivos para os parlamentares que apoiou: Cássio Andrade - estadual - e Josué Bengtson - federal - foram os campeões de votos em Santa Luzia desbancando os candidatos que receberam apoio da trinca Edno-PT-Edinaldo, cujo desempenho foi um grande fiasco.

Para Governador, o Prefeito diminuiu a vantagem do adversário no primeiro turno e ampliou, em termos percentuais, a votação do Governador reeleito Simão Jatene e se cacifou como um dos seus principais aliados no nordeste paraense. Com uma representatividade parlamentar de peso, Adamor ganhou maior poder de interlocução junto ao Governo e capilaridade política para buscar recursos para o município.

Dois dos maiores críticos do Governo Simão Jatene estarão fora da Alepa na próxima legislatura

Dois dos maiores críticos do Governo Simão Jatene na Alepa, os deputados Edmilson Rodrigues [PSOL] e Simone Morgado [PMDB] - que usavam a tribuna para descer a borduna sem dó nem piedade no Governador, dia sim e outro também - não estarão mais na casa em 2015, porque foram eleitos para a Câmara Federal.

Por outro lado, o Executivo também perderá um dos seus principais interlocutores: José Megale [PSDB], atual líder do Governo, que não concorreu nestas eleições.

Alepa - deputados voltam ao trabalho em clima amistoso

retorno dos deputados ao trabalho, depois das eleições, na Assembleia Legislativa foi marcado pelo clima de amistosidade entre a base aliada do Governador reeleito Simão Jatene e a oposição.

Em discurso conciliatório, o líder do governo, José Megale [PSDB], pregou a união dos partidos em torno de interesses comuns. “A campanha foi acirrada, mas é chegada a hora de desarmar os palanques. Temos questões sérias e urgentes que transcendem os partidos e que precisam ser resolvidas. Os parlamentares do Pará precisam se unir em torno do derrocamento do Pedral do Lourenço, por exemplo, da discussão tributária também e para isso vamos precisar de todos os partidos”, afirmou Megale.

Diferentemente das sessões que antecederam ao pleito, ontem, não se falou sobre a instalação de CPIs e o próprio tom da oposição também foi mais ameno. “A eleição revelou, tanto em nível nacional, como no estadual, que o eleitor quer mudanças, mas que estas sejam feitas por aqueles que já estão no poder. Tanto no caso da Dilma, como na do Jatene, a diferença na votação foram praticamente as mesmas. O que ligou um sinal de alerta para o que precisa ser feito, para a necessidade de fazer mudanças” afirmou o deputado Carlos Bordalo [PT], ressaltando que pretende nesta próxima gestão fazer uma oposição programática em torno dos interesses do estado.

A Propósito, a bancada do PT foi a que mais encolheu nestas eleições: de 8 deputados passará para apenas 3 na próxima legislatura. As maiores bancadas, no entanto, continuam sendo a do PMDB, com oito deputados, e a do PSDB, que aumentou de cinco para seis deputados.

Reeleito, Governador Simão Jatene terá maioria na Assembleia Legislativa

O governador Simão Jatene [PSDB], reeleito no último domingo [26] com 51,92% dos votos válidos, terá a maioria na Assembléia Legislativa do Pará, de acordo com as coligações estabelecidas durante a campanha eleitoral 2014: dos 41 deputados estaduais eleitos, 21 são da base aliada do governo.

O partido de seu adversário Helder Barbalho [PMDB] elegeu 8 deputados, mas a coligação teve menos parlamentares eleitos do que a situação: 20 fazem parte da bancada de oposição.

Situação
Na disputa eleitoral deste ano o PSDB liderou a coligação "Juntos com o povo", composta por 15 partidos - PSDB, PSD, PSB, PP, SD, PRB, PSC, PTB, PPS, PEN, PMN, PTC, PSDC, PT do B e PRP - que elegeram os seguintes parlamentares:

- Cilene Couto [PSDB]
- Júnior Ferrari ]PSD]
- Luth Rebelo [PSDB]
- Coronel Neil PSD
- Ana Cunha [PSDB]
- Fernando Coimbra [PSD]
- Eduardo Costa [PTB]
- Eliane Lima [PSDB]
- Tião Miranda [PTB]
- Celso Sabino [PSDB]
- Milton Campos [PSDB]
- Sefer [PP]
- Raimundo Santos [PEN]
- Hilton Aguiar [SD]
- Divino [PRB]
- Eliel Faustino [SD]
- Olival Marques [PSC]
- Dr. Jaques Neves [PSC]
- Sidney Rosa [PSB]
- Cassio Andrade [PSB]
- Thiago Araujo [PPS]

Oposição
A coligação "Todos pelo Pará" teve 11 partidos em sua composição - PMDB, PT, DEM, PR, PDT, PROS, PHS, PC do B, PSL, PPL e PTN - e elegeu 20 deputados:

- Martinho Carmona [PMDB]
- Bordalo [PT]
- Chamon [PMDB]
- Dr. Wanderlan [PMDB]
- Ozorio Juvenil [PMDB]
- Scaff [PMDB]
- Dirceu Ten Caten [PT]
- Airton Faleiro [PT]
- Chicão [PMDB]
- Iran Lima [PMDB]
- Eraldo Pimenta [PMDB]
- Junior Hage [PR]
- Renato Ogawa [PR]
- Soldado Tercio [PROS]
- Rui Begot [PR]
- Marcio Miranda [DEM]
- Dr. Haroldo Martins [DEM]
- Antonio Tonheiro [PPL]
- Miro Sanova [PDT]
- Lélio Costa [PC DO B]

Eleições 2014 - segundo turno em Santa Luzia

Passada a ressaca do segundo turno das eleições - comemoração do lado do Prefeito Adamor Aires e lamúrias por parte dos correligionários da chapa barbalhopetista - é necessário passar a lupa nos números e verificar o desempenho dos candidatos.

Nesse segundo turno compareceram às urnas 11.182 luzienses, o que corresponde a 72,56% do total de 15.411 eleitores do município. Dos quais 640 [5,72%] anularam o voto e 84 [0,75%] decidiram votar em branco. A abstenção foi de 27,44%, ou seja 4.229 não compareceram às urnas.

Mesmo vencedor, o  candidato derrotado Helder Barbalho [PMDB] diminuiu a vantagem em relação ao primeiro turno: 5.527 [53,26%] votos contra 5.751 [52,85%].

Simão Jatene [PSDB], mesmo com menos votos que no primeiro turno ampliou, em termos proporcionais, a sua votação em solo luziense: passou de 46,51% [5.022 votos] para 47,15% [4.931 votos].

Simão Jatne x Helder Barbalho - quem venceu a eleição nas 12 maiores cidades do Pará

Confira quem venceu a eleição para governador - segundo turno - nos 12 maiores colégios eleitorais do Pará.

1 – Belém: 1 milhão de eleitores

Simão Jatene [PSDB]: 63,58%
Helder Barbalho [PMDB]: 36,42%
Quem venceu no 1º turno: Jatene [57,10%]

2 – Ananindeua: 264 mil eleitores

Simão Jatene [PSDB]: 62,38%
Helder Barbalho [PMDB]: 37,62%
Quem venceu no 1º turno: Jatene [57,01%]

3 – Santarém: 201 mil eleitores

Helder Barbalho [PMDB]: 64,50%
Simão Jatene [PSDB]: 35,50%
Quem venceu no 1º turno: Helder [68,64%]

4 – Marabá: 151 mil eleitores

Helder Barbalho [PMDB]: 66,46%
Simão Jatene [PSDB]: 33,54%
Quem venceu no 1º turno: Helder [67,44%]

5 – Parauapebas: 135 mil eleitores

Helder Barbalho [PMDB]: 60,77%
Simão Jatene [PSDB]: 39,23%
Quem venceu no 1º turno: Helder [64,29%]

6 – Castanhal: 112 mil eleitores

Simão Jatene [PSDB]: 68,38%
Helder Barbalho [PMDB]: 31,62%
Quem venceu no 1º turno: Jatene [65,92%]

7 – Abaetetuba: 99 mil eleitores

Simão Jatene [PSDB]: 54,83%
Helder Barbalho [PMDB]: 45,17%
Quem venceu no 1º turno: Jatene (53,94%)

8 – Cametá: 81 mil eleitores

Helder Barbalho [PMDB]: 51,47%
Simão Jatene [PSDB]: 48,53%
Quem venceu no 1º turno: Helder [52,04%]

9 – Bragança: 77 mil eleitores

Simão Jatene [PSDB]: 64,76%
Helder Barbalho [PMDB]: 35,24%
Quem venceu no 1º turno: Jatene [58,78%]

10 – Tucuruí: 72 mil

Helder Barbalho [PMDB]: 61,40%
Simão Jatene [PSDB]: 38,60%
Quem venceu no 1º turno: Helder [66,17%]

11 – Itaituba: 71 mil eleitores

Simão Jatene [PSDB]: 50,51%
Helder Barbalho [PMDB]: 49,49%
Quem venceu no 1º turno: Jatene [51,46%]

12 – Barcarena: 69 mil eleitores

Simão Jatene [PSDB]: 58,09%
Helder Barbalho [PMDB]: 41,91%
Quem venceu no 1º turno: Jatene [55,30%]

Reeleito, Jatene enterra 2 mitos na política do Pará


Governador reeleito, Simão Jatene [PSDB] caminha para encerrar o seu segundo mandato – e iniciar o terceiro a partir de 1º de janeiro de 2015 – com a implosão de dois mitos na política paraense.
1º - De que para vencer eleição para governador no Pará seria imprescindível, uma espécie de condição sine qua non, o apoio do gigante PMDB.
Jatene não só derrotou o Golias nas urnas, como impôs a derrota ao filho do dono do partido no estado – o mítico Jader Barbalho, com todo o seu império midiático perfilado na campanha.
2º - Que para governar o Pará seria necessário, para não trilhar numa  propalada insegurança política, fazer do PMDB um partido aliado, entregando-lhe, se assim Jader Barbalho exigisse, a presidência da Alepa [Assembleia Legislativa do Pará].
Jatene, há mais de 2 anos, dirige o estado com o PMDB fazendo a mais selvagem e encarniçada oposição, sem que isso tenha colocado em risco, a qualquer momento, a governabilidade do Pará.
Ao contrário, sem a paquidérmica sigla barbalhiana a sugar o oxigênio do Estado, o governador tem conseguindo potencializar o crescimento de forças políticas paraenses fora da órbita tucano-petista-peemedebista.
É o caso do PSD, PSB, PSC e Solidariedade.
Diferente do PT, que no Pará sempre fez política pautado no respeito religioso a esses dois dogmas, Simão Jatene não hesitou em desobedecer “as escrituras” quando as circunstâncias assim lhe exigiram.
Ousou. E entrou para a história.
Por Jeso Carneiro - editor do Blog do Jeso

Em tempo

O tom bélico dos valetes da "bancada do ódio" - leia-se vereadores integrantes da oposição raivosa na Câmara Municipal - contra o Prefeito Adamor Aires ganhou ares cômicos, para não usar outros adjetivos, na reta final da campanha eleitoral. Na ausência de realizações ou de honestidade de propósitos, talvez, um vereador do PMDB, famoso pela retórica verborrágica desconexa, falou em alto e bom som em reunião no bairro Natolândia no início dessa semana que o asfalto implantado recentemente nas ruas de Santa Luzia através do programa "Asfalto na Cidade", do Governo do Estado em parceria com a prefeitura, foi uma conquista do "governo interino de dezessete dias" e não do Prefeito Adamor... Ora nobre vereador, menos: assim Vossa Excelência passa recibo à respeito do que se comenta na City, de que não estaria em pleno exercício das suas faculdades mentais em decorrência da senectude que lhe pesa aos ombros.

A propósito, aproveitando a deixa do discurso do parlamentar maluquinho-sênior um certo potoqueiro que faz parte da banda de lá tascou essa: "Aqui esse bairro não merece ser chamado mais de Natolândia [uma alusão ao ex-prefeito Nato Costa], mas Jetrolândia." Moral da história: como não têm nenhuma realização a mostrar e muito menos projetos a turma tenta se apoderar do trabalho alheio sem o menor pudor.

A "bancada do ódio", useira e vezeira dos conchavos espúrios, faz política com o fígado e desarmada dos bons propósitos. Ávida por privilégios nada republicanos no exercício parlamentar, persegue a Administração Municipal prejudicando criminosamente o povo luziense ao ponto de votar contra projetos prioritários para o desenvolvimento do município e indispensáveis para a melhoria da qualidade de vida da população. Vale lembrar que por conta de picuinha política o projeto da LDO [Lei de Diretrizes Orçamentárias] para o exercício financeiro de 2015 foi reprovado colocando em risco a governabilidade, a captação de recursos e a aplicação de receita no município.

No domingo, o Pará não vai simplesmente optar entre Simão Jatene e o filho do Jader Barbalho. Os paraenses estarão decidindo entre a decência e o crime, a honradez e a corrupção, o Estado de Direito e o autoritarismo de uma oligarquia, um democrata de capacidade reconhecida e um picareta. Mais que o segundo turno da eleição estadual, vem aí uma decisão: continuar com o trabalho honesto que está dando certo ou apostar numa aventura, no retrocesso? A primeira opção mantém o Pará na trilha do desenvolvimento, enquanto que a segunda pavimenta a estrada para o retorno da velha política de assalto aos cofres públicos e dos escândalos que tanto envergonharam os paraenses num passado nem tão distante.

Os intelectualóides petistas luzienses não se mostram muito dispostos a votar em Helder Barbalho - sangue do meu sangue de Jader, figura demonizada por dez entre dez companheiros na época em que fingiam ser honestos - nesse segundo turno. Não se sabe se pelo mico de serem obrigados a engolir o Barbalhinho, enfiado goela abaixo pela direção estadual do PT, ou se ainda resta um mínimo daquela velha dignidade que arrotavam nos tempos de militância. O certo é que a maioria da petezada luziense continua em campo pedindo votos para Dilma Rousseff, e só.

Que o deputado federal Wladmir Costa é Simão Jatene desde criancinha, disso ninguém pode duvidar: o esforço do "Federal do Povão" para reeleger o Governador, é titânico. Porém, não dá para entender a postura do arremedo de grupo liderado pelo empresário Einaldo Lucena - amigo de laços estreitos e afilhado político de Wlad - em consórcio com o PMDB e o PT luziense trabalhando fervorosamente para eleger Helder Barbalho, arqui-inimigo de Wladmir Costa. Que a atitude de Lucena em apoiar o Barbalhinho é puro despeito com o Prefeito Adamor, disso todo mundo está careca de saber. Agora, a falta de pulso do deputado para controlar o próprio curral e deixar que o seu rebanho reforce as hostes do inimigo, aí não dá para entender.

Os loroteiros de plantão propalam cheios de si que o Prefeito Adamor Aires foi o grande derrotado nas eleições do primeiro turno em Santa Luzia. Papo furado e coisa de gente que não tem o mínimo de discernimento político. Aos números: Cássio Andrade, o deputado estadual apoiado pelo prefeito Adamor teve sólidos 2.224 votos, o que representa em termos proporcionais nada menos que 19,71% dos votos válidos do eleitorado luziense. Praticamente o dobro de votos do segundo colocado, Orley Soares - que tinha a seu favor o fato de ser um filho da terra - que obteve 1.332 votos, o que equivale a 11,81%.

A propósito, o desempenho do Prefeito Adamor foi mais surpreendente ainda quando se trata do apoio dado ao deputado federal Josué Bengtson, apenas três dias antes da eleição. Pastor Josué recebeu o voto de nada menos que 2.401 luzienses e foi o grande campeão deixando na poeira Simone Morgado, a queridinha dos Barbalho, que recebeu apoio robusto do empresário Edno Alves, candidato derrotado nas eleições municipais de 2012, e mesmo assim obteve minguados 1.897 votos.

Acostumado a levar de lavada o título de "o mais votado" de Santa Luzia, o deputado Lúcio Vale desta vez, sem o apoio do Prefeito Adamor Aires, amargou um distante terceiro lugar com irrisórios 1.537 votos. Portanto, diante desse panorama fica evidente a força e a capacidade de transferência de votos do Prefeito Adamor Aires que nem de longe pode ser chamado de perdedor. E mais, se passar a lupa sobre a votação recebida pelos deputados estadual e federal, sob a batuta do Prefeito, observa-se que os votos foram casados, como se diz no jargão político, por que a disparidade entre os números é ínfima.

Logo mais a noite, os campeões de votos em Santa Luzia, os deputados reeleitos Cássio Andrade - Assembléia Legislativa - e Josué Bengtson - Câmara Federal - estarão na City para participar da última reunião de bairros do grupo político do Prefeito Adamor Aires em prol das candidaturas do presidenciável Aécio Neves e da reeleição do Governador Simão Jatene nesse segundo turno. Na oportunidade além de reforçar o coro pedindo votos para a dupla de tucanos, Josué e Cássio devem aproveitar para agradecer ao povo luziense pela votação expressiva recebida no último dia 05 graças ao apoio incondicional do Prefeito Adamor.

O pleito de 2014 ficará registrado nos anais políticos brasileiro como as eleições do vale tudo: a mais suja e violenta da jovem democracia nacional. Nunca na história deste país houve uma propaganda eleitoral tão sórdida, baixa e terrorista protagonizada pelas duas maiores máquina partidárias que dominam o país que para não perderem os privilégios lançaram mãos dos instrumentos mais mesquinhos para desqualificar os inimigos - isso mesmo, para o consórcio do mal PT/PMDB não há adversários, mas inimigos a serem destruídos a qualquer preço - com mentiras, manipulações e difamações de toda sorte. Sinceramente, o povo brasileiro não merecia isso.

Prefeito Adamor Aires realiza reunião de bairro em prol das candidaturas de Aécio e Simão Jatene


O Prefeito Adamor Aires, juntamente com o vice-prefeito Robson Federal, vereadores e lideranças políticas do município realizarão ato político em prol das candidaturas do presidenciável Aécio Neves e do Governador Simão Jatene, candidato à reeleição, ambos do PSDB, nesta quinta-feira, 23, à partir das 20 hs no Bairro Novo, próximo ao bairro Natolândia, em frente à residência do senhor Joãozinho Rafael.

Presenças já confirmadas do deputado federal Josué Bengtson [PTB] e do deputado estadual Cássio Andrade [PSB], ambos reeleitos no dia 05 com apoio do Prefeito Adamor Aires e com votação expressiva no município. Aliás, Josué e Cássio foram os campeões de votos em Santa Luzia ao superar todos os outros candidatos apoiados pela "bancada do ódio", da Câmara Municipal.

Capanema vai completar 104 anos

O município de Capanema completará 104 anos de emancipação política no próximo dia 5 de novembro e a data será comemorada com uma festa cultural organizada pelo Grupo Folclórico Timbira, que completa dez anos de existência no dia 1º de novembro. A festa do Timbira será no dia 31 de outubro no Clube Nassau, com apresentação da Marujada e seus músicos, além da banda de música Popular Paraense, de Pedrinho Calado.

Uma das economias mais pungentes do nordeste paraense, Capanema se desenvolveu graças à sua localização estratégica que a tornou polo para vários outros municípios da região bragantina e possui população em torno de 62 mil habitantes e estimativa de 40 mil eleitores.

Aécio Neves em Belém - prefeito e comitiva participarão do ato político na capital


O presidenciável e líder em todas as pesquisas de intenção de votos no segundo turno, Aécio Neves [PSDB], estará hoje à noite em Belém participando de um comício ao lado do Governador Simão Jatene [PSDB], candidato à reeleição.

O Prefeito de Santa Luzia, Adamor Aires, aliado de primeira hora do Governador, estará na capital do estado acompanhado de uma grande comotiva pró-Aécio e Jatene para participar do evento.

Deputado não se reelege por erro na documentação da candidatura

O deputado Raimundo Belo [Pros], de Capitão Poço, que tentou a reeleição mas foi barrado pela Justiça Eleitoral por erro na documentação de registro da candidatura teve votos suficientes para renovar o mandato na Alepa. Exatos 34.282 eleitores votaram em Belo, cujos votos foram anulados pelo TRE [Tribunal Regional Eleitoral].

A propósito, Belo Travou uma guerra sangrenta com seu principal adversário no município de Capitão Poço, o empresário Antonio Tonheiro eleito deputado estadual com 34.191 votos.

Uma pesquisa por dia na corrida presidencial

Será, como era de se esperar, uma semana, cheia de novas pesquisas. Das que interessam, será divulgado um Datafolha presidencial hoje à noite. Uma pesquisa feita inteiramente hoje. Captará, assim, em seu resultado parte das repercussões do debate de ontem.

Na quarta-feira, um novo Datafolha. Na quinta-feira, uma pesquisa Ibope e novamente outra do Datafolha. No sábado, os dois institutos divulgarão novo levantamento.